6.3.10

As Mulheres e a República






As Mulheres e a República” é o tema de uma conferência, a realizar HOJE, dia 6, pelas 16h00, no Museu do Trabalho Michel Giacometti, que aborda as perspectivas femininas no âmbito na República.

Um olhar pelos antecedentes da revolução, no período de transição entre a Monarquia e a República, sob o ponto de vista feminino, é uma das vertentes a abordar no encontro, que conta ainda com uma retrospectiva histórica dos percursos e caminhos retratados pelas e para as mulheres na República.

Isabel Lousada, investigadora em "Faces de Eva" – CesNova – Centro de Estudos de Sociologia da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova, dinamiza a sessão, que procura ampliar o conhecimento em torno das faces femininas nesta época.



A iniciativa cultural é acompanhada por uma sessão de pintura ao vivo pela pintora Pólvora d’ Cruz.



http://www.mun-setubal.pt/MuseuTrabalho/
A iniciativa é da BIG - Bobliotecas para a Igualdade de Género e a UMAR. Aconferência, integra o programa "Março Mulher", promovido, há vários anos, pela SEIES, em parceria com a CMS, entidades e associações de Setúbal que versam as mulheres e as problemáticas de género.

4.3.10

Património e museus nos modelos de desenvolvimento urbano. Os casos de Coimbra e de Salamanca

Autor: Tiago de Sousa e Vasconcelos Matos Boavida

Orientação: Pedro Casaleiro (Museu da Ciência da Universidade de Coimbra) e Fernanda Cravidão (Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra)

Dissertação apresentada à Universidade de Coimbra para obtenção do Grau de Mestre em Museologia e Património Cultural

Ano: 2010. Tese defendida a 21 de Janeiro de 2010



Nota: Presidiu ao júri a directora do Mestrado, Doutora Irene Vaquinhas. Participaram os doutores Pedro Casaleiro (Museu da Ciência da UC) e Fernanda Cravidão (Departamento de Geografia da FLUC), na sua qualidade de co-orientadores. Arguiu a Doutora Alice Semedo (Departamento de Património

da FLUP).



Resumo:
Nesta dissertação de mestrado pretendi avaliar qual a importância do turismo, da cultura, dos museus e do património para as cidades, dos pontos de vista económico e social, assim como quais as imagens que, através desses meios, as cidades projectam para o exterior. Pretendi, baseado nos exemplos de Bilbau, Barcelona e Liverpool, entre outros, aferir até que ponto estes aspectos referidos podem ser centrais na estratégia de desenvolvimento das cidades, e da real possibilidade de serem âncoras de modelos de desenvolvimento urbano.


Elaborei um estudo comparativo entre Coimbra e Salamanca, avaliando até que ponto estas duas cidades ibéricas, tão próximas na sua história e evolução económica, podem estabelecer um modelo de desenvolvimento urbano com base no turismo, na cultura, nos museus e no património. Por via da observação directa, da administração de um inquérito e do estudo das duas cidades, tentei perceber se elas têm sabido, ou não, aproveitar as suas potencialidades nessas áreas e o que se projecta, nesse sentido, para o futuro.

in  http://nomundodosmuseus.wordpress.com