11.11.08

Caixa das memórias


Centenas de pescadores bacalhoeiros oriundos do barlavento algarvio constituem literalmente o rosto da exposição “Caixa da Memória”, que pode ser vista no Museu de Portimão.
Trata-se de um tributo aos homens que arriscaram a vida nas lides da pesca do bacalhau, cujos rostos e identificações formam um memorial em forma de cubo, composto por centenas de pescadores, protagonistas daquela que ainda é conhecida como a “faina maior”.
O projecto, preparado pelo Museu Marítimo de Ílhavo, resultou do restauro e digitalização do espólio de cerca de vinte mil fotografias e fichas de tripulantes de navios bacalhoeiros, dos quais foram parcialmente identificados pescadores e oficiais de pesca naturais de Portimão, Alvor, Ferragudo, Lagos, Vila do Bispo, Sagres, Aljezur, Monchique ou Silves e que andaram ao mar entre 1935 e 1974.
A “Caixa da Memória” constitui um projecto expositivo semelhante a outras abordagens estéticas de memórias do trabalho que têm sido elaboradas em museus estrangeiros e em centros de arte. É uma exposição invulgar que serve de tributo aos protagonistas de um modo de vida duro e extremamente perigoso, que demandavam as águas geladas e turbulentas da Terra Nova.
A itinerância desta mostra insere-se nas comemorações do 70º aniversário da fundação do Museu Marítimo de Ílhavo e coincide com a realização pelo Museu de Portimão do Encontro Internacional de Museus do Trabalho, Indústria e Sociedade, que reúne na cidade alguns dos mais renomados especialistas na matéria.
“Caixa da Memória” pode ser vista no Museu de Portimão até 23 de Novembro, às terças-feiras das 14h30 às 18h00, e de quartas a domingos das 10h00 às 18h00, com entrada gratuita.

Fonte: CMP

Sem comentários: